Orlando Luz: “O dia mais triste e difícil da minha carreira”

Orlando Luz disse que sua derrota para João Fonseca ontem pelas quartas de final do Challenger de Assunção foi “provavelmente, o dia mais triste e difícil da minha carreira.”

O tenista de 26 anos — hoje o número 372 do mundo — perdeu para Fonseca, de 17 anos e o número 341 do ranking, por dois sets a zero.

Luz chegou a ter dois match points, com 40-15 quando o segundo set estava em 5/4 para ele, mas Fonseca virou o jogo e conseguiu garantir sua vaga nas semifinais.

A declaração de Luz foi dada num post nos stories do Instagram (veja abaixo).

Em outro post, ele disse que “apesar das duas derrotas apertadas, no simples e nas duplas, saio de cabeça erguida e consciente de que estou no caminho correto.”

Ele postou ainda várias mensagens de seguidores lhe dando apoio.

Quando jovem, Luz era uma das grandes promessas do tênis brasileiro. Ele foi campeão das duplas no Wimbledon Juvenil em 2014, junto com Marcelo Zormann, e no mesmo ano ganhou prata nas Olimpíadas da Juventude.

Ele começou bem a carreira mas em 2017 teve que fazer uma cirurgia no olho para tratar uma doença degenerativa chamada ceratocone, que acabou prejudicando seu desempenho nos anos seguintes.

Numa entrevista ao Globo Esporte em 2019, ele disse que tinha que jogar com lente, mas que só usava a lente no olho direito. “Eu ainda tenho a do olho esquerdo, mas ela mexe muito, eu fico muitas vezes cego durante um ponto. Eu bato uma bola bem, duas, de repente a bola some. Eu não sei bem o que fazer,” disse ele na época.

Luz chegou a duas semifinais de Challenger em sua carreira: uma em agosto de 2021, em San Marino, quando foi derrotado por Holger Rune, e outra em 2015 em Santos.

Compartilhe nas suas redes:

Receba o Brasil Tênis no seu email
A melhor cobertura dos torneios de tênis, além de curiosidades e bastidores do esporte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×