Madrid Open: Jabeur vê tratamento “diferente” para homens e mulheres

A tunisiana Ons Jabeur — a número 9 do mundo e ex-número 2 — fez uma crítica dura à organização do Masters 1000 de Madri, dizendo que há um tratamento diferente para os homens e as mulheres no torneio.

“O tênis é um esporte que tenho muito orgulho de fazer parte como mulher. No entanto, sinto que ainda temos um longo caminho a percorrer, especialmente aqui em Madri e em Roma, na Europa em geral,” disse a tenista. 

“Eles deveriam respeitar muito mais as mulheres, deveriam respeitar a forma como jogamos. Há coisas que sentimos… observamos como as mulheres e os homens são tratados aqui e o tratamento é completamente diferente.”

Jabeur disse que acha que as tenistas merecem “algo melhor.” 

“E não digo isso sem fazer um grande esforço. É normal pedir que a gente receba o que merecemos.”

Jabeur está nas quartas de final do torneio, onde vai enfrentar a americana Madison Keys.

Essa não foi a primeira vez que tenistas reclamaram de um tratamento diferente entre homens e mulheres no Masters de Madri. No ano passado, a brasileira Bia Haddad e a bielorrussa Victoria Azarenka — que foram campeãs nas duplas — se recusaram a discursar no recebimento dos troféus em protesto.

Azarenka também criticou a diferença nos bolos de aniversário que Aryna Sabalenka e Carlos Alcaraz receberam em seus aniversários. Segundo ela, 

Sabalenka recebeu um bolo modesto, enquanto Alcaraz recebeu um bolo de três andares, além de ter uma comemoração em quadra. 

Compartilhe nas suas redes:

Receba o Brasil Tênis no seu email
A melhor cobertura dos torneios de tênis, além de curiosidades e bastidores do esporte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×