Lesão de Murray é grave e pode encerrar carreira do ex-número 1

A lesão que Andy Murray sofreu em seu tornozelo durante a terceira rodada do Masters 1000 de Miami é grave e pode encerrar a carreira do escocês, ex-número 1 do mundo e vencedor de três Grand Slams.

Aos 37 anos, Murray já planejava parar de jogar em breve, e havia dito que essa temporada provavelmente seria sua última. 

Mas seu plano era se despedir do tênis em Wimbledon, seu torneio favorito e que ele venceu duas vezes.

A lesão que ele sofreu na partida contra Tomas Machac, no entanto, deve acelerar esses planos.

Murray disse num post no Instagram que sofreu uma ruptura total do ligamento fíbula-talar e uma ruptura do ligamento calcâneo-fibular. 

“Vou me consultar com um especialista em tornozelo quando voltar para casa para determinar os próximos passos. É algo difícil de aceitar obviamente e eu vou ficar fora por um bom tempo. Mas vou voltar com um quadril e sem nenhum ligamento quando o momento chegar,” disse ele. 

Entre 2018 e 2019, Murray teve que se afastar do tênis para fazer algumas cirurgias no quadril, já que ele foi diagnosticado com uma síndrome conhecida como impacto femoroacetabular — a mesma que Gustavo Kuerten teve. 

Nessa nova lesão, o período que ele terá que ficar parado ainda não foi definido, mas dada a gravidade da lesão certamente será mais para meses do que semanas. 

Compartilhe nas suas redes:

Receba o Brasil Tênis no seu email
A melhor cobertura dos torneios de tênis, além de curiosidades e bastidores do esporte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×